Uma parte de nós sente-se culpada por não seguir a mesma direção dos nossos pais e responder ao padrão original. Só enxergamos nossos pais e deixamos de poder criar novas realidades e viver novas possibilidades. E assim não conseguimos diferenciar o que é bom para nós, o que é novo e o que nos liberta. É preciso ter um olhar bem cuidadoso para perceber o que estamos tentando preservar.


Porque acontece dessa forma? Trabalho com crianças pequenas há 15 anos e testemunhei em diversas situações, o quanto a criança e/ou nossa criança interna é essencialmente amorosa, e tem uma grande necessidade de ser amada. A criança é porosa, adaptável, ela perdoa facilmente, é disponível.


http://irisvenus.files.wordpress.com/2009/05/lua-e-sol1.jpg

Mesmo quando ela perturba, foge da escola, bate no irmão, briga com a mãe, ela está de alguma forma buscando esse vínculo com os pais. Nossa criança pode viver querendo ser o bonzinho para ser aceito pelos pais da mesma forma que ela pode ser transgressora, também para responder a um padrão de infância. Eu brigo, falo sem parar, não me vinculo, porque foi esse o lugar que eu tive e não porque escolho ser livre e independente.


E como podemos nutrir, trabalhar a nossa lua? O primeiro e grande passo é a consciência de como ela se apresenta, mas não basta ter consciência, precisamos aceitar suas manifestações, ter paciência, aprender a respirar e dar colo a essa criança. Mas um colo com limites!!! Pois já vivemos o relacionamento com os pais e agora precisamos ser pais da criança que há dentro de nós.


Os planetas não estão parados, vivemos os trânsitos astrológicos e eles nos dão oportunidades de fazer mudanças. Se nascemos com uma lua no signo de peixes, por exemplo, costumamos reagir como vítima às situações externas, com dificuldade de estabelecer limites às nossas emoções, com uma fome emocional tão grande que terminamos vivendo relações muito simbióticas. Claro que vamos atrair pessoas que correspondam ao nosso padrão, para podermos continuar no mesmo cenário. Quando o planeta urano faz uma conjunção com essa lua natal, ele traz uma oportunidade de transformar nosso padrão vibratório. Urano vai trazer mais consciência, mais distanciamento emocional e mais leveza e certamente, se não resistirmos e tivermos coragem, iremos atrair novos tipos de relacionamentos.


É preciso passar por essas mudanças para que possamos viver o lado saudável da lua. Podemos viver a lua como uma escolha do nosso feminino, estabelecer vínculos mais saudáveis, onde haja uma nutrição mútua.


A lua nos permite acessar a nossa intuição, nossa empatia com os outros que nos relacionamos, nossa sensibilidade. Tomando consciência das nossas raízes, nossos padrões de reação, podemos contar com os raios, com a luz do sol. E entrarmos num mundo mais colorido.


Enquanto a lua é reativa, o sol age, se posiciona, faz escolhas. A casa que contém o sol indica a experiência psíquica ou o campo de realidade psíquica onde eu me sinto real. É aquilo que eu faço para me sentir real, senão fico abstrato, a vida perde o sentido. O sol permite que você crie realidades. Novas possibilidades.


É a expressão do melhor de nós, daquilo que é mais verdadeiro no nosso ser. O sol é nossa vitalidade, espontaneidade, intencionalidade, criatividade, talentos. É também nossa relação com o masculino (possibilidade de agir, se colocar, se mostrar) Quanto mais expressamos nosso sol, mais ficamos autoconfiantes e com uma auto-estima mais positiva.


A energia do sol, o nosso brilho, se revela nas qualidades do signo por onde passa o sol no nascimento. São formas diferentes de brilhar. Um sol em leão vai brilhar de forma diferente de um sol em câncer.


O contato com o sol oferece uma consciência do nosso potencial e uma vontade mais capaz de se manifestar, o sol nos presentifica.


E como fazer para alimentar esse sol? A consciência está na prática. É se posicionando diante de cada situação que acontece na minha vida. Percebendo se meu cenário de vida está coerente o meu sol. Se tenho um sol na casa XII sei que vou brilhar na intimidade, aprofundando junto com o outro, aconselhando, curando. Isso vai acontecer a forma do signo, se for em gêmeos, posso curar falando, usando minhas mãos. Bem diferente de um sol de casa X, que precisa se expor, conquistar sua autoridade, se posicionar, ser visto através das qualidades do signo do sol.


O contato com o sol aumenta a nossa autoconfiança, assim como a sensação de felicidade, o prazer, a alegria, a plenitude, a diversão. O Sol traz um encantamento com a vida.

O CONVITE QUE FAÇO É QUE EXAMINEMOS MAIS CUIDADOSAMENTE NOSSOS PADRÕES LUNARES PARA QUE POSSAMOS ULTRAPASSAR O NIVEL DA SOBREVIVÊNCIA E PASSEMOS A EXISTIR, A SERMOS HUMANOS DE FATO.

P.S.[A 1ª parte do artigo está neste link: As raízes da lua e os raios do sol - Parte I]

0 comentários:

De onde vocês chegam...

Quem eu sou...

Minha foto

Patrícia Imbassahy

Salvador, Bahia, Brasil

Perfil completo

Contato

Home

Visitantes...

on line

internet stats

Total

Sobre o Blog...


Desde muito cedo estive cercada de pessoas amantes da astrologia. Lembro da primeira vez que estive numa feira de livros de astrologia, queria levá-los todos para a minha casa. Isso faz algum tempo... Ao certo ainda não sabia que esta seria minha grande parceira de jornada. A minha relação com a astrologia foi mudando ao longo dos anos. Passei por um tempo onde a curiosidade geminiana me levava a querer conhecer muitos autores diferentes, tempo em que muitos livros de astrologia foram lançados.


Tempo bom... Os diálogos na mesa do bar, do consultório, da rede e da cama trouxeram o colorido especial da experiência vivida, da entrega, ao meu trabalho.


Para mim a astrologia fala da nossa existência e nos lembra a todo instante que somos co-autores da nossa realidade.

CURRENT MOON

Twitter... É pra seguir!



Licenças

image
Creative Commons

O conteúdo deste blog está sob a proteção da licença do Creative Commons. É permitido a reprodução do conteúdo, desde que citada e linkada à fonte.

ATENÇÃO

Melhor visualizado no Mozila Firefox ou Opera.

Seguidores

O Céu neste momento...